Batata Brasileira – Como aumentar o consumo

Natalino Shimoyama – Gerente Geral da ABBA


A produção mundial de batata é de 310 milhões de toneladas (19 milhões de hectares). O Brasil produz, aproximadamente, dois milhões de toneladas (100 mil hectares). Nessa oportunidade, convidamos você a refletir sobre as causas da retração do consumo da batata brasileira. Em nossa opinião, os principais motivos são: desemprego, concorrência, importações, variedade, apresentação, preços, mídia e consumidor.


Desemprego: consideramos o principal motivo, pois sem salário não há consumo, ou seja, consumidor sem dinheiro não compra.


Concorrência: a abertura “Collorida” do mercado brasileiro resultou nas importações desnecessárias de alho, batata, cebola, tomate e de muitos outros produtos agrícolas ou industrializados. O “custo Brasil” permite que produtos importados a mais de 20 mil km sejam vendidos a preços menores que os similares produzidos no País.


Importações: aproximadamente 100 mil toneladas de batatas processadas são comercializadas no Brasil, anualmente, com preços médios ao consumidor de R$ 6 a R$ 8/ Kg. Trocando em miúdos, os consumidores de maior poder aquisitivo estão consumindo mais de dez mil hectares de batatas produzidas no exterior. Milhares de pessoas perderam seus empregos e, aproximadamente, US$ 50 milhões deixaram o País – esse recurso é mais do que o necessário para construir uma ou mais indústrias capazes de abastecer todo o mercado brasileiro.


Variedades e apresentação: a falta de legislações modernas e de fiscalizações eficientes quanto à classificação, padronização e identificação obrigatória da maioria dos produtos agrícolas no Brasil resulta em prejuízos e insatisfação dos consumidores. No caso da batata, a utilização incorreta das variedades disponíveis resulta, por exemplo, em batatas fritas encharcadas de óleo.


Preços: elevados ou promoções significam valores proibitivos ou batata de péssima qualidade. Essa forma de atuação das grandes redes de varejo reduz, significativamente, o consumo. Geralmente, o produtor recebe menos de R$ 1 / Kg e as grandes redes vendem por mais de R$ 2 / Kg.


Mídia: as propagandas ou notícias equivocadas, incompletas, sensacionalistas, tendenciosas, etc afetam o consumo. As notícias do tipo – “batata contaminada com agrotóxico”, batata engorda e o preço da batata aumenta a inflação” são exemplos de notícias que resultam na retração imediata do consumo e do preço.


Consumidor: as necessidades e expectativas da população são desconsideradas e desrespeitadas. A busca de praticidade, como o microondas, a comida fast food, peso e os serviços de delivery, e a aquisição de novos valores culturais, como segurança alimentar, meio ambiente e comportamento, justificam a redução do consumo de batatas frescas.


Continuando nossa reflexão, acreditamos que algumas soluções para aumentar o consumo podem ser obtidas através de atividades relativamente simples; em compensação, outras soluções são extremamente complicadas e difíceis.


Consideramos como viáveis as seguintes atividades para aumentar o consumo de batata brasileira: atender às necessidades e proporcionar satisfação aos consumidores através da melhoria na apresentação do produto (identificação, padronização e frescor), segurança alimentar (rastreabilidade), preços acessíveis (classificação e embalagem) e praticidade (préfrita, pré-assada, palha e batatas minimamente processadas). Sugerimos aos produtores e varejistas: negociações (ganhaganha), parceria (marcas próprias, pesquisa, mídia, etc) e, ao governo, apoio para modernizar as legislações (padronização e fiscalização).


Consideramos como atividades complicadas e difíceis, para aumentar o consumo de batata brasileira, as mudanças no Brasil (políticas, econômicas, sociais…), a organização profissional da agricultura (zoneamento, escalonamento, infra-estrutura…), e a profissionalização das cadeias produtivas do Brasil. Finalizamos nossa reflexão lembrando que a batata é alimento imprescindível à humanidade, saudável (não engorda), versátil (milhares de pratos), acessível (todos podem comprar), universal (todos apreciam – crianças, adultos e idosos) e que o BRASIL é autosuficiente no abastecimento de batata e tem à mesa a mais farta e deliciosa do mundo.
 

VEJA TAMBÉM

BATATA INGLESA OU ANDINA?

  Fernando Antonio Reis Filgueira, M.Sc., Dr. – Professor de Olericultura e Coordenador de Agronomia na Universidade Estadual de Goiás, Unidade Universitária de Ipameri – GO – 330, Km 241, s/n Anel Viário Ipameri,...

LER

Curtas- Livro Fungicidas Sistêmicos – Teoria e Prática

O Prof. Dr. Luís Azevedo do Instituto de Biologia, Departamento de Entomologia e Fitopatologia, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, lançou no Congresso Paulista de Fitopatologia o seu quarto livro sobre Proteção...

LER

Produção de minitubérculos de semente prébásica de batata em sistema hidropônico DFT*

* Parte da Tese de Doutorado do primeiro autor, Pós-Graduando em Produção Vegetal, UNESP-Jaboticabal. Engº Agrº Ms.Thiago Leandro Factor & Prof. Dr. Jairo Augusto Campos de Araújo – Depto de Engenharia Rural, UNESP –...

LER

DR. AQUIRA MIZUBUTI

Joaquim Gonçalves de PáduaPesquisador EPAMIG – FECDC. P. 33, 37780-000 – Caldas/MGpadua@epamigcaldas.gov.br O Professor Aquira Mizubuti (1934-1998), natural da cidade de Uberlândia, Minas Gerais, graduou emAgronomia em 1963 pela antiga UREMG (hoje UFV). Em...

LER