Retrospectivas dos Encontros Nacionais

José Daniel Rodrigues Ribeiro
Secretário ABASMIG Pouso Alegre/MG jodarori@uol.com.br


Os Encontros Nacionais de Produção e Abastecimento de Batata tiveram início em junho de 1987, na cidade de Guaíra/SP. Foi idealizado por um grupo de pesquisadores, professores e extencionistas com o objetivo de reunir um público misto entre técnicos e produtores, bem como todos os outros envolvidos com a bataticultura, para discutir temas técnicos, econômicos e políticos da cultura da batata, a fim de oferecer subsídios para melhorar a produtividade e o abastecimento de batata no Brasil.


O público participante do evento foi em torno de 120 pessoas. Foi discutido, pela primeira vez, temas para o setor: a situação da bataticultura nacional e nos Estados, as cultivares de batata, a tecnologia de obtenção de batata-semente, entre outros. Entre as reivindicações daquele encontro estavam: o aumento de crédito rural para o setor; a melhoria na estrutura de produção de batata-semente para a produção de acordo com a demanda nacional; o apoio do Ministério da Agricultura para a implantação de câmaras frigoríficas em regiões produtoras de batata-semente; a identificação das variedades nos supermercados e, entre outras, a mais importante, fomentar e prestigiar a formação de associações de produtores de batata, municipal e regional, e que a assistência técnica aos bataticultores fosse feita por agrônomos especializados, de modo a oferecer um serviço assistencial de alto nível.


Neste encontro, não podemos deixar de destacar os grandes batalhadores da bataticultura nacional: o dr. Carlos Adalberto Carvalho Dias – CATI, o dr. Manuel Churata-Masca – UNESP e o dr. Nozomu Makishima – EMBRAPA.


O 2º encontro foi realizado na estância hidromineral de Cambuquira (MG), em agosto 1988. Foi um encontro muito alegre, coordenado pelo grande idealista da bataticultura, dr. Sérgio Mário Regina; com forró todas as noites e, no último dia, um tour batateiro às margens do lago da hidrelétrica de Furnas, prestigiado pelo senador da república na época dr. Ronan Tito. Naquele encontro teve início uma campanha para diminuir o plantio da safra das águas, que representava 60,2% do plantio anual, situação conseguida hoje. A ênfase maior dada também naquele encontro, foi para a criação de associações e discussão do estatuto para criação da Abasmig que, dois anos mais tarde, foi fundada e presidida pelo atual presidente da ABBA – engº agrº Marcelo Balerini.


Destacamos também neste encontro a presença de pessoas como, o dr. Sérgio Mário Regina, o dr. Pedro Donato Guerra de Dessimoni e o Luiz Gomes Correia.


O 3º Encontro foi realizado na cidade de Contenda (PR), em dezembro de 1989. Foi o encontro “quente” pois, na época, surgiu o caso do uso de mercúrio nas lavouras de batata no Estado de São Paulo. Aí o consumo despencou. Esteve presente na abertura o atual senador da República engº agrº Ãlvaro Dias, então governador do Estado do Paraná. Nesse encontro aconteceu o início da discussão sobre Marketing da batata, oferta e industrialização. Destacamos neste encontro os técnicos na bataticultura, dr. Rodolfo Harry Steindof, dr. Marcos Hoepfer, dr. Agostinho de Freitas e o dr. Carlos Alberto Scotti.


O 4º encontro foi realizado na cidade de Divinolândia (SP) em outubro de 1990, coordenado pelo engº agrº João Batista Vivarelli.
Foi dada ênfase à produção de batata nas áreas de montanhas, mais especificamente sobre tração animal, fertilidade e adubação da batata. No painel de consolidação das safras foi notado e como já preconizado no encontro de Cambuquira, a mudança da época de plantio (diminuição da safra das águas e aumento da safra de inverno).


O 5º encontro, foi realizado em Porto Alegre (RS) em outubro de 1991. Devido à distância, a participação foi pequena, porém, do Estado de Minas Gerais, foram 20 produtores, todos de avião. Tomando-se o cuidado de viajar em dois vôos, pois em caso de acidente, sobreviveria a metade.


Um dos temas centrais do encontro foi Batata-Semente, apresentado pelo dr. Nozomu, já aparecendo o papel das associações, como a Gaúcha de Produção de Batata-Semente, a Associação de Produtores Carlos Barbosa e a cooperativa de Ibirairas e Cotia. Foram destaque, também no encontro, as pesquisas sobre melhoramento apresentada pelo dr. Delorge Mota.


O 6º encontro foi realizado na cidade de Cambuí (MG), em agosto de 1992, com grande participação de técnicos, professores e produtores, cuja abertura foi de gala, com música, vinho e queijo e com a participação do então secretário de Estado e ex-ministro Alysson Paulinelli. O encontro teve como eixo central bataticultura – ensino – pesquisa, temas conjunturais como comercialização e futuro da bataticultura. As universidades tiveram presença marcante nesse encontro.


O 7º encontro realizado em Araucária (PR), em novembro de 1993, teve destaque para o pequeno produtor de batata, o Mercosul como uma ameaça à bataticultura brasileira. Foi também neste encontro a elaboração da ata para criação da Associação Brasileira de Bataticultores, coordenada pelos engº agrº Nilceu Nazareno e engº agrº Marcelo Balerini.


Foi um encontro bem organizado, com boa presença dos bataticultores. Foi destaque nesse evento o dia especial sobre aproveitamento da batata, coordenado pelos extencionistas Regionais da EMATER-PR. A partir deste encontro a realização passou a ser bi-anual.


O 8º encontro ocorreu em Campinas (SP), nas dependências do Instituto Agronômico, em novembro de 1995. A partir também deste encontro, foi englobada, na mesma data de realização, o IV Seminário Nacional de Batata-Semente. O enfoque principal do evento foi dado às viroses na batata e ao Mercosul. Foi destaque na apresentação sobre vírus, o dr. Caran do Agronômico de Campinas, a professora Antônia Figueira da UFLA, o dr. Péricles Malozzi do Instituto Biológico, o dr. Valdir Yuri do IAC e o professor convidado dr. Steven A. Slack, da Cornell University – Nova York (EUA).


O 9º encontro, foi em Pouso Alegre (MG) em agosto de 1997. Foi um encontro muito participativo, inclusive com a realização conjunta do V Seminário Nacional de Batata Semente e o 1º Encontro de Produção e Abastecimento da Batata do Mercosul. Teve a participação do dr. Jorge Yanovsky e do dr. Marcelo Huarte, ambos da Argentina, e o dr. Andrés Contreras Mendez, do Chile. Foi nesse encontro a apresentação nacional da ABBA. Destaca-se também nesse encontro na seção de abertura a presença do dr. Arlindo Porto, do Ministério da Agricultura. Houve também a presença marcante das empresas envolvidas na bataticultura com seus estandes.


O 10º encontro realizou-se em Itapetininga (SP) em outubro de 1999, também muito bem organizado. A partir deste evento, a coordenação dos encontros nacionais passou para a ABBA. O destaque principal neste encontro foi a palestra do dr. Roberto Rodrigues, que mais tarde seria Ministro da Agricultura. Destaca-se também neste evento a participação das empresas, principalmente, de máquinas agrícolas.


O 11º encontro realizou-se em Uberlândia (MG) em outubro de 2001. Foi o melhor e o mais bem organizado encontro, desde as palestras, o público, até a participação das empresas envolvidas no setor. Teve destaque o Dia de Campo, com a participação do Exército Brasileiro no fornecimento das refeições. Temas importantes foram abordados, o uso da água, a sustentabilidade da bataticultura, o associativismo e o agronegócio.


O 12º encontro realizou-se em Ponta Grossa (PR) em outubro de 2003, com bom público. O destaque neste evento foram os dias de campo muito bem organizados, a exposição de máquinas agrícolas e os estandes bem diversificados.


Portanto, concluímos que os encontros contribuíram, em muito, para a mudança de perfil da bataticultura brasileira. Essa contribuição foi em vários aspectos: técnicos, sociais e econômicos. Houve falhas, mas os sucessos foram maiores. Esperamos que os próximos venham a contribuir muito mais com a bataticultura brasileira. Sinto-me muito feliz pois, com a graça de Deus, pude estar presente em todos os encontros.


 

VEJA TAMBÉM

A complexidade da obtenção de tubérculos-semente livres de patógenos

Valmir Duarte – valmir@ufrgs.br;valmir.duarte@pq.cnpq.brProf. titular, Fitopatologia,Ph.D. Eng. Agr., CREA-RS 29.404Chefe do Depto – Depto de Fitossanidade, Faculdade de Agronomia, UFRGS51 3308.6016 / 9986.9421   Prof. Valmir Duarte em lavoura de batata     O...

LER

Melody – Os produtores ganham mais uma opção

tubérculo:foto cedida pela C. Meijer BV Paulo Roberto Popp, Engenheiro Agrônomo,Paulo Popp Consultoria Agrícola Ltda,pesquisador e consultor da empresa C. Meijer BV, Holanda.rppopp@netpar.com.br, (41) 9963.4092 e (41) 3253.7435, fax: (41) 3253 0167, Curitiba/PR.www.meijer-potato.com MELODY...

LER

A lagarta-do-cartucho-do-milho, Spodoptera frugiperda, também pode ser importante para outras culturas

José Roberto Postali Parra – jrpparra@esalq.usp.br • Celso Omoto – celomoto@esalq.usp.br Tradicionalmente, a lagarta-docartucho era uma praga do milho, e embora a mais importante desta cultura, muitas vezes nem era controlada; eventualmente, poderia ocorrer...

LER

Produção de minitubérculos em cultivo hidropônico com substrato

Pedro HayashiPirassu AgrícolaSócio-ProprietárioR. José Bonifácio 530 sala 6 A – Vargem Grandedo Sul SP – 13880-000Telefax- (19) 3641-6201jarril@uol.com.br – pirassu@rantac.com.br A importação de batata-semente de outros países como Holanda, Alemanha, Canadá sempre foi uma...

LER