A batata na Argentina, após a tempestade

Guillermo Rocatti Diretor – Latinpap S.A. Eng. Agr. – Especialista em produção de batatas, Chile 2345-7600 – Mar Del Plata Província de Buenos Aires Argentina TelFax: 0054.223.472.0323 Celular: 054.9.2941.652880 latinpap@arnet.com.ar


Durante a década de 90, a produção de batatas na Argentina se desenvolveu sob um marco de permanente super oferta, com preços de venda geralmente muito baixos, próximos do custo do produto ou inferior a ele.
Como consequência disso, o setor produtor foi submergindo em uma crise profunda, que provocou o abandono da atividade por um grande número de pequenos produtores. Ao final de 2001, “explode” a convertibilidade, produz-se a desvalorização do “Peso”, desaparece, de um dia para outro, toda forma de crédito, muitos laboratórios produtores de agroquímicos retiram seus produtos do mercado e aumentam os preços de todos os insumos, em três a quatro vezes o seu valor. A esta situação dramática se somam condições climáticas adversas que afetam a produção dos cultivos, especialmente, os da província de Buenos Aires, gerando uma grande diminuição na oferta do produto e um aumento significativo nos preços do mesmo.
A partir do novo contexto, inicia-se um processo de reacomodação da atividade, pelo qual a maioria dos produtores reduz a área de plantio, aplica mais tecnologia e melhora o manejo de seus cultivos, a fim de incrementar a produtividade. A área se reduz de 103.000 hectares, ao final de 2000, para 83.000 hectares na atualidade.
As boas práticas de produção utilizadas, permitiram alcançar altos rendimentos e qualidade, tanto nas batatas para consumo como nas para indústria. Contribuiu também para isto, a incorporação de novas áreas de produção com rega com pivô, nas províncias de Catamarca, San Luis e Rio Negro.
Com relação à produção de sementes, consolidaram-se, em diferentes zonas do país, áreas isoladas de produção de material pré-básico de alta sanidade, que garantem uma provisão constante de semente saudável para o sistema.




As práticas que se empregam atualmente na produção, permitem obter sementes muito confiáveis, que são exportadas com êxito para diversos lugares.
A evolução alcançada na qualidade das batatas para semente, indústria e consumo, permitiu o desenvolvimento de novos mercados na América Central e na região do Caribe.
Através de alianças estratégicas com empresas exportadoras de sementes de primeiro nível, do Canadá e da Holanda, elaboraram-se programas de abastecimento anuais, concretizando-se o serviço de provisão de sementes “ano calendário”, complementando as ofertas sazonais de ambos os hemisférios.
Do mesmo modo devem complementar-se as ofertas entre nossos países. É responsabilidade de nossos dirigentes fomentar uma integração séria, madura e equilibrada, que potencialize o comércio e gere bem-estar a nossos povos. É nossa responsabilidade afiançar as relações e consolidar a confiança.




 

VEJA TAMBÉM

Sucesso do Associativismo no Mato Grosso (MT)

Carlos Ernesto Augustin, Presidente da Associação de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) justifica a importância das associações do Mato Grosso (MT).   1) Quais são as principais associações estabelecidas no Mato Grosso (MT)? Em...

LER

Rastreabilidade – Agora é Lei!

Carlos Frederico D. de Alencar Ribeiro Coordenador Técnico Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA...

LER

A Cobrança pelo uso da água na agricultura

Engº. Waldemar S. Casadei Fundação Prefeito Faria Lima – CEPAM wcasadei@terra.com.br O Estado de São Paulo vive um momento de intensa discussão. Questiona-se a introdução da cobrança pelo uso da água como instrumento de...

LER

Editorial – Staple food

Sem dúvida, a história da batata é surpreendente. Nenhum alimento se tornou tão importante para a humanidadeem tão pouco tempo.Apesar de já possuir uma história aqui na América antes da chegada dos Europeus, já...

LER