O preço do desperdício.

O desperdício de alimentos é um seriíssimo problema, quando visto sob a ótica da fome, que assola bilhões de habitantes no mundo, e também pelas perdas econômicas que causa principalmente aos produtores.

Aproveitaremos mais esta oportunidade de participar da Revista Cultivar para refletir sobre as perdas que ocorrem com a produção brasileira de batata. Estimando que o Brasil produza anualmente cerca de 2,5 milhões de toneladas de batata, resultantes do plantio de mais de cem mil hectares, com uma produtividade média bruta de aproximadamente 25 toneladas/ha, destacamos os seguintes fatores como os principais causadores de perdas da produção:

Problemas fitossanitários – estimamos que esse fator provoque perdas de 10 a 20% da produção nacional, ou seja, de aproximadamente 250 a 500 mil toneladas – cinco a dez milhões de sacos (50 kg) – dez a 20 mil hectares… A canela preta, a sarna comum, a requeima e a traça têm sido os principais problemas, pois ocorrem em praticamente todas as regiões produtoras.

Adversidades climáticas – estimamos que chegam a reduzir a produção em aproximadamente 10%, ou seja, 250 mil toneladas – cinco milhões de sacos (50 kg) – l0 mil hectares… Secas prolongadas, excesso de chuvas e elevadas temperaturas têm causado enormes perdas de produção em muitas regiões.

Manuseio Inadequado – estimamos que essas perdas atinjam mais de 5%, ou seja, 125 mil toneladas – 2,5 milhões de sacos (50 Kg) – cinco mil hectares. As principais causas são os ferimentos dos tubérculos (pancadas recebidas na colheita, beneficiamento, transporte, manuseio dos consumidores etc.), as formas de exposições nos locais de venda e o armazenamento em locais inadequados nos domicílios (geladeira, temperaturas elevadas e excesso de luz), resultando em podridões e esverdeamento.

Classificação dos tubérculos – estimamos perdas de mais de 5%, ou seja, 125 mil toneladas – 2,5 milhões de sacos (50 Kg) – cinco mil hectares. A principal causa pode ser atribuída à desuniformidade dos tamanhos dos tubérculos ofertados aos consumidores. Geralmente os tubérculos de tamanhos médios (150 – 200 g) são vendidos no mesmo dia, enquanto os tubérculos menores permanecem durante dias nas gôndolas… esverdeando… apodrecendo… pelo mesmo preço.

Mediante os fatores acima apresentados podemos estimar que no Brasil as perdas na produção de batata podem ultrapassar 40%, ou seja, um milhão de toneladas, ou 40 mil hectares… Acreditamos que, para amenizar, ou reduzir significativamente as perdas na produção de batata no Brasil, bastaria apoiar a pesquisa científica, praticar profissionalmente a defesa fitossanitária, plantar em épocas de menores riscos climáticos, utilizar mais irrigação, reduzir o tamanho das embalagens, proporcionar informações aos comerciantes e consumidores e modernizar as atuais legislações de padronização e classificação de batata consumo.

Vale lembrar que as perdas também ocorrem em todas as outras cadeias produtivas, e, portanto, tratase de um grande problema mundial e principalmente nacional.

Finalizamos nossa matéria sugerindo a união profissional de todos os segmentos da cadeia brasileira da batata. Basta copiar o exemplo de cadeias da batata de outros países que superaram problemas similares.

Autor: Natalino Shimoyama, Gerente Geral ABBA

Fonte: Revista Cultivar HF - Abri / Maio 2006 - Ano VII - nº 37

http://www.cultivar.inf.br
VEJA TAMBÉM

Novos desafios à produção.

A expansão de pragas e doenças na cultura da batata exige medidas urgentes, que passam principalmente pela organização profissional da cadeia produtiva.

LER

Ruas de fogo

As recentes manifestações populares que “incendiaram” o Brasil nos últimos meses acendem discussão sobre os entraves que precisam ser “queimados” na agricultura brasileira LER MATÉRIA NA ÍNTEGRA

LER

Organização Urgente

Diante dos diversos desafios enfrentados pelos bataticultores, no Brasil, a profissionalização da cadeia produtiva é o caminho para garantir a sustentabilidade do setor

LER

O preço do desperdício.

Prejuízos na cultura da batata, provocados por problemas fitossanitários, adversidades climáticas, manuseio inadequado e classificação incorreta, poderiam ser evitados.

LER